Sócrates

Sócrates não deixou nada escrito e padeceu a morte dos criminosos, por ter atacado as crenças tradicionais de sua época, colocando a verdadeira virtude acima da hipocrisia e do que já era determinado como correto na época.

A preocupação filosófica de Sócrates é toda voltada para o homem, principalmente para seu interior. O conhece-te a ti mesmo socrático significa “põe à luz a tua interioridade”. Este pensamento traz um novo sentido ao pensamento grego da época em que viveu, que se volta para a reflexão, à crítica e à maturidade. É neste sentido que se justifica a acusação de corrupção que foi feita a Sócrates: o jovem da época, em contato com o pensamento socrático, alteraria a sua maneira de pensar, tornando-se mais crítico e reflexivo.

O foco principal da ética socrática é a virtude, que é a predisposição dos homens para aquilo que nasceram. Para ele a virtude é o conhecimento de si mesmo. O homem é mau por ignorância e aquele que não segue o bem é porque não o conhece. A ética socrática é intelectualista, pois, a medida que o homem conhece, passa trazer à luz a sua interioridade e passa a conhecer a sua própria virtude: Este é o sentido ético do conhece-te a ti mesmo.

Os verdadeiros valores para Sócrates não são os exteriores – riqueza, fama, poder, beleza, saúde física – mas aqueles que são ligados à alma, frutos do autoconhecimento.

Devido à tudo o que desenvolveu foi preso e condenado à morte à tomar um veneno, cicuta. Deixou seu seguidor, Platão, que escreveu sobre seus pensamentos e continuou seu trabalho.

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *