Tantas batalhas

Tantas batalhas venci;

muitas ainda vou enfrentar

Muitas vezes, vou cair;

mas sempre vou levantar

Meu escudo é minha fé;

minha espada é o Orixá

Tenho meu corpo fechado;

nas rezas do jacutá

Quando eu caí; pai Ogum me levantou

Quando sofri; mãe Oxum me amparou

Me vi perdido; Exu veio me guiar

Estava com fome; Oxóssi me ensinou caçar

Fui humilhado; Xangô me defendeu

Fui perseguido; Yansã com os ventos me escondeu

Cai doente, Omulu me curou

Estava sujo, Yemanjá me banhou

Vi a morte, Nanã lhe afastou, cuidou de mim e meu pranto, secou

Desesperado, vi minha fé vacilar

Fui renovado com as palavras de Oxalá

Se eu fosse só, já não estaria aqui

Meu Orixá me ajudou a persistir

Na noite escura, nos caminhos me guiou

E, na Umbanda, eu retribuo todo o seu amor!

Retirado de fonte sem autor, caso você saiba, por favor avise!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *